O PSD vai tomar uma decisão definitiva sobre a liberdade de voto dos seus deputados no projeto sobre a coadoção de crianças por casais homossexuais até quinta-feira.

«O PSD vai ter uma reunião dos seus deputados. Não deverão existir grandes alterações ao que aconteceu na reunião na generalidade, mas o PSD reunirá na quinta-feira de manhã os seus deputados para tomar uma decisão sobre essa matéria», disse o deputado social-democrata Carlos Abreu Amorim em declarações aos jornalistas no Parlamento.

«A tradição do grupo parlamentar do PSD é dar liberdade de voto» em matérias de consciência, sublinhou ainda o parlamentar.

A comissão de Assuntos Constitucionais aprovou hoje o retomar da discussão do projeto-lei do PS sobre a coadoção de crianças por casais homossexuais e a votação final global do mesmo, em plenário, foi agendada para sexta-feira.

Todas as bancadas concordaram que os trabalhos devem «retomar no ponto exato» onde foram suspensos, e a votação final global sucederá já na sexta-feira.

O projeto foi aprovado na generalidade a 17 de maio do ano passado mas o processo legislativo ficou suspenso após a entrada de uma proposta de referendo, da autoria do PSD, sobre a matéria, que foi chumbada pelo Tribunal Constitucional.

A direção da bancada do CDS-PP vai dar sobre a matéria uma «orientação firme de voto contra», disse hoje em Madrid o líder parlamentar centrista Nuno Magalhães.

«Tomarei essa posição em Lisboa. Mas quer a direção do partido, quer do grupo parlamentar darão orientação firme de voto contra o projeto», antecipou.