O PS considerou hoje que obteve uma vitória «histórica» nas eleições autárquicas de domingo, sustentando que nunca uma só força política tinha antes conquistado 150 câmaras, e salientou que «continuará» a fazer oposição «construtiva».

Estas posições foram assumidas por Miguel Laranjeiro a meio de uma reunião do Secretariado Nacional do PS, destinada a analisar os resultados das eleições autárquicas de domingo.

«Tratou-se de uma vitória histórica do PS, os melhores resultados do PS desde sempre, conquistando 150 câmaras, mais freguesias e mais mandatos. Houve claramente um reforço da confiança dos portugueses no PS e uma recusa inequívoca das políticas do Governo», declarou o dirigente socialista.

De acordo com Miguel Laranjeiro, «nunca antes nenhum partido tinha vencido em tantas câmaras municipais na história da democracia portuguesa».

Interrogado se o PS poderá apresentar uma segunda moção de censura ao Governo nesta nova sessão legislativa, o dirigente socialista respondeu que esse tema não foi analisado na reunião do Secretariado Nacional.

«O PS já apresentou uma moção de censura no parlamento e, nessa altura, ficou clara a posição do partido. O que agora interessa são as propostas que o PS vai levar a debate já nesta semana» na Assembleia da República, referiu, numa alusão aos diplomas apresentados pelos socialistas que pretendem estimular o crescimento económico.

Já sobre a ideia de o PS voltar a defender a realização de eleições antecipadas, Miguel Laranjeiro disse que o PS «continuará a fazer uma oposição de propostas, uma oposição construtiva, mas denunciando as políticas erradas de austeridade do Governo».

Questionado se a direção do PS já tem um candidato autarca do partido para preencher o lugar de presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), o membro do Secretariado Nacional disse que o tema não foi objeto de discussão, deixando, depois, uma nota de humor.

«Temos para esse lugar 150 candidatos», declarou, numa alusão ao futuro número de presidentes de câmaras do PS, num registo da Lusa.