O ex-primeiro-ministro José Sócrates juntou-se hoje à campanha socialista, num almoço na Trindade. Entre críticas à direita, que acusa de ter querido fazer uma «campanha de ódio e imbecilidades», afirmou ainda que não ira descer o Chiado, não por medo da reação popular, mas porque entende que essa ação é para os candidatos.

Europeias: por onde vai andar o último dia de campanha

José Sócrates falava aos jornalistas à chegada ao almoço de campanha do PS na Trindade, em Lisboa, onde foi recebido por cerca de uma dezena de mulheres que gritaram insistentemente «Sócrates, Sócrates».

«Quero esclarecer que venho apenas para um almoço e não vou fazer nenhuma descida do Chiado, porque isso é para os candidatos do PS», alegou.

Interrogado se não desce o Chiado por receio da reação popular, o ex-chefe do Governo contrapôs imediatamente: «Eu nunca tive medo de nada. Não tenho medo da direita e muito menos dos insultos da direita.»

«A direita política quis transformar esta campanha numa campanha de ódio e imbecilidade», disse ainda o antigo primeiro-ministro, acusando ainda a direita de ter «perdido a vergonha»: «Mas tenho uma surpresa para eles: é que vão perder também as eleições.»