O ex-Presidente da República, Mário Soares, associou-se à iniciativa «A construção naval não pode morrer», em defesa dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), assumindo a sua «solidariedade» com os trabalhadores da empresa.

«É sempre possível fazer coisas bem feitas», afirmou Mário Soares, questionado pelos jornalistas, à chegada a Viana do Castelo, sobre a possibilidade de ainda travar o encerramento dos ENVC.

«Estes homens estão no seu direito de lutar e devem continuar a lutar. É por isso que eu cá estou, solidário com eles», disse ainda o histórico líder socialista.

A iniciativa «A construção naval não pode morrer» decorre este sábado em Viana do Castelo, promovida pela Câmara Municipal local, e surge na sequência do anunciado encerramento dos estaleiros e do consequente despedimento dos atuais 609 trabalhadores, decidido pelo ministério da Defesa Nacional, que lançou em paralelo um concurso para a subconcessão dos terrenos e infraestruturas da empresa.

«É uma causa merecida e necessária para o bem do nosso país, que é Portugal», apontou Mário Soares, insistindo que a sua presença em Viana do Castelo é «em solidariedade» com os trabalhadores.

Políticos, músicos, desportistas e antigos trabalhadores dos Estaleiros são esperados na cidade, esta tarde, para aquilo que a autarquia classifica como um «grito nacional» em defesa da empresa.