O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António José Seguro, pediu a suspensão das provas dos professores por considerar que «são injustas e sem sentido».

«É óbvio que este Governo não tem a educação como prioridade e, se repararem, em setembro, houve dezenas de milhares de professores que foram para o desemprego e, portanto, esta prova não é uma prova que vem incentivar os professores a continuar na profissão, mas visa retirar os professores da sua profissão. Que haja bom senso do Governo e que pare», afirmou o líder socialista nesta quarta-feira, na Azambuja, aos jornalistas.

Para António José Seguro, que disse ser a favor da avaliação, «deve haver condições de acesso à profissão», além das habilitações académicas, mas defendeu que «não faz sentido» haver provas para professores já a lecionar.

«Qual é a justiça para um professor que leciona há cinco anos e é dispensado de um outro que está a lecionar há quatro anos e meio e é obrigado», questionou, colocando de seguida uma outra questão: «Se é um professor que está a lecionar há dois, três ou quatro anos porque é que precisa de fazer prova para continuar a lecionar?»