Pedro Passos Coelho formalizou esta sexta-feira a sua recandidatura à liderança do PSD defendendo que Portugal precisa de «um horizonte de estabilidade e muita determinação política» no «novo ciclo eleitoral» que inclui europeias, legislativas e presidenciais.

«Aguardarei até ao final da tarde para saber se algumas outras iniciativas terão aqui comunicação com a intenção de se candidatar à liderança do PSD», declarou Pedro Passos Coelho aos jornalistas, depois de entregar o seu processo de candidatura e a sua moção de estratégia global na sede nacional dos sociais-democratas, em Lisboa.

O prazo para a entrega de candidaturas à liderança do PSD, que têm de ser subscritas por um mínimo de 1500 militantes com capacidade eleitoral, e das respetivas moções de estratégia global termina às 18:00 desta sexta-feira.

Pedro Passos Coelho referiu que a sua recandidatura ao cargo de presidente do PSD foi entregue com «mais de 6000 subscrições» e remeteu a apresentação da sua moção de estratégia global para esta sexta-feira à noite, em Aveiro.