O Ministério Público guardou seis escutas telefónicas entre Passos Coelho e o presidente do BES Investimento (BESI), José Maria Ricciardi.

A revelação é feita no despacho em que o DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Lisboa acusa nove jornalistas de violação do segredo de justiça no âmbito do inquérito-crime à privatização da EDP e da REN.

As conversas foram intercetadas entre janeiro e julho de 2012. O banqueiro estava sob escuta e a conversa indiciava, segundo o Ministério Público, tentativas de pressão sobre o chefe do Governo.

O conteúdo exato das escutas nunca foi revelado, mas a simples notícia da sua existência foi suficiente para o DIAP acusar nove jornalistas por violação do segredo de justiça. É nesse despacho que se fica a saber que são seis as escutas em causa.

José Maria Ricciardi foi constituído arguido. O BES Investimento assessorou as duas empresas que ganharam as privatizações da EDP e da REN.