«Em plena negação da realidade, os austeritários de serviço festejam o crescimento de um PIB em queda. E o governo só mostra alguma prudência porque conhece a fantasia dos números: razões europeias, conjunturais, de exportação... Aliás, importa clarificar quanto desta "retoma" é energia excedentária no país ou ouro derretido das famílias.»