Atualizado às 13:10

O PSD disse esta sexta-feira que a manifestação das forças de segurança na quinta-feira tem «obviamente» eco no Governo, que pretende «acentuar» o diálogo com as associações sindicais do setor.

«A manifestação foi uma manifestação importante que revelou preocupações sérias por parte dos elementos das forças de segurança. O que quer dizer que isto tem eco no Governo, obviamente», reconheceu o deputado social-democrata Fernando Negrão em declarações aos jornalistas no parlamento.

Sublinhando que «todas as manifestações têm eco no Governo», o parlamentar disse ainda que o executivo «não deixará de continuar o diálogo que tem tido e acentuar mesmo esse diálogo com as associações sindicais ligadas às forças de segurança».

Negrão lembrou o reforço dos montantes da comparticipação anual da GNR e da PSP na aquisição de fardamento, aprovado no Conselho de Ministros desta semana, acreditando que «de pequenas coisas se fazem grandes soluções».

Milhares de elementos das forças e serviços de segurança manifestaram-se na quinta-feira frente ao parlamento, numa ação de protesto em que a tensão foi elevada, com manifestantes a conseguirem invadir parte da escadaria da Assembleia.

Durante os protestos, foram registados 10 feridos e duas pessoas identificadas por desacatos.

O cortejo de protesto, que começou no Marquês de Pombal, foi promovido pela Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, estrutura que congrega os sindicatos mais representativos da GNR, PSP, ASAE, SEF, Guarda Prisional e Polícia Marítima.

Tentativas «inaceitáveis»

Já o CDS-PP reconheceu a «relevância» da manifestação de quinta-feira das forças de segurança, mas alertou para as «inaceitáveis» tentativas de subir as escadarias do parlamento.

«Temos consciência da relevância desta manifestação, pelo número de participantes, pelo seu peso, a sua dimensão. Obviamente que é uma manifestação que deve ser atendida, escutada, é um sinal de descontentamento muito relevante», adiantou Telmo Correia, deputado centrista, em declarações aos jornalistas no parlamento.

O deputado do CDS-PP diz que é importante reforçar o diálogo entre o Governo e as forças sindicais do setor mas alerta para comportamentos registados na quinta-feira que podem ser contraproducentes para tal.

«As tentativas de subida de escadaria [do parlamento] são inaceitáveis, lamentáveis para mais vindas de homens que são das forças de segurança, a ser o caso, e que não beneficiam em nada as reivindicações, antes pelo contrário», declarou o parlamentar.

Tanto o PS, como o PCP e o Bloco de Esquerda vieram defender esta sexta-feira que o Governo não pode ignorar a manifestação.