Eduardo Catroga diz que o passo lógico depois do chumbo do Tribunal Constitucional é um corte geral em todas as pensões, como a TSU dos pensionistas que Paulo Portas rejeitou. Em entrevista à TVI24, nesta sexta-feira, o antigo ministro das Finanças e conselheiro de Passos Coelho afirma que está aberta a porta também para uma reforma do sistema de segurança social.

«A primeira opção aberta pelos juízes vai de encontro à linha vermelha de Portas: a TSU dos pensionistas», disse Eduardo Catroga, no programa Política Mesmo.

O ex-governante entende que o acórdão do TC indica que um corte geral das pensões era mais equitativo, não tendo dúvidas de que «o pior é aumentar impostos».

As hipóteses para Catroga passam, assim, por «subir a taxa normal do IVA, aumentar a TSU ou aumentar a Contribuição Extraordinária de Solidariedade 2 ou 3 pontos».