Um dos elementos do Movimento que se Lixe a Troika que participava numa manifestação na Praça do Município, em Lisboa, foi levado pela Polícia quando protestava junto aos automóveis que transportavam os responsáveis políticos.

No final da cerimónia que assinala o primeiro ano em que o Dia da Implantação da República não é feriado registaram-se incidentes entre a Polícia e os manifestantes.

Gonçalo Fonseca, de 24 anos e desempregado, foi o manifestante levado pela Polícia depois de ter tocado num dos carros da comitiva dos responsáveis políticos que participaram nas comemorações.

À saída da esquadra da PSP, Gonçalo Fonseca disse aos jornalistas que tinha sido identificado e acusado «de provocar danos no automóvel».

O manifestante disse que apenas tocou «com a mão no carro», o que desencadeou uma reação por parte dos agentes da PSP que formavam um cordão de segurança para impedir que os manifestantes chegassem às viaturas.

«Agarraram-me, imobilizaram-me e caíram-me em cima cerca de 10 agentes», relatou.

Gonçalo Fonseca mostrou aos jornalistas os seus óculos partidos na sequência da intervenção da Polícia.

Depois deste incidente, os manifestantes do Movimento que se Lixe a Troika estão concentrados junto à esquadra da PSP, na rua do Arsenal, onde foi identificado Gonçalo Fonseca.