A Comissão Política Nacional do CDS-PP mandatou hoje o presidente do partido, Paulo Portas, para assinar o acordo de coligação com o PSD no sábado, disseram à Lusa fontes centristas presentes na reunião.

O acordo para as eleições europeias de 25 de maio é assinado entre PSD e CDS-PP no sábado, pelas 11:00, num hotel de Lisboa.

A coligação com o PSD às europeias já foi aprovada no último congresso do partido, que se realizou em janeiro.

Depois da Comissão Política, será a vez de o Conselho Nacional do CDS-PP, o órgão máximo entre congressos, reunir na próxima semana com as europeias na agenda.

Também o PSD vai reunir os seus órgãos próprios este fim de semana: o novo Conselho Nacional do PSD, eleito no passado domingo em Congresso, vai reunir-se pela primeira vez no domingo para aprovar a lista conjunta com o CDS-PP às eleições europeias.

No sábado passado, o presidente dos sociais-democratas e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, confirmou perante o Congresso do PSD que o número da lista conjunta com o CDS-PP às europeias vai ser Paulo Rangel, seu ex-adversário interno e atual eurodeputado.

O presidente do CDS-PP e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, já tinha anunciado que Nuno Melo seria o primeiro nome indicado pelos centristas para essa lista conjunta que está a ser negociada pelos dois partidos.

Em 2004, a última vez que PSD e CDS-PP se apresentaram coligados às eleições europeias, a lista "Força Portugal" era encabeçada pelo ex-ministro social-democrata João de Deus Pinheiro e conseguiu eleger nove eurodeputados. Dos nove, dois foram indicados pelo CDS-PP: Luís Queiró (que estava em quarto lugar na lista conjunta) e Ribeiro e Castro (o nono candidato).