O nome de Rui Machete foi a grande surpresa no anúncio de remodelação do Governo. O ex-vice-primeiro-ministro do IX Governo Constitucional (apenas por dez dias) regressa às funções de Estado quase 30 anos depois para assumir o cargo de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

Considerado próximo de Manuela Ferreira Leite, enquanto líder do PSD, Rui Machete foi um dos defensores públicos da atual remodelação governamental e da manutenção da maioria PSD/CDS, depois de, em setembro de 2012, ter pedido ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, para reconsiderar os «sacrifícios exagerados» impostos à classe média.

O social-democrata de 73 anos (militante histórico e ex-presidente do partido) também foi ministro dos Assuntos Sociais, da Justiça e da Defesa Nacional em dois governos provisórios e assumiu o cargo de deputado em várias legislaturas.

Advogado, foi presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento durante 22 anos (1988 a 2010), acumulando participações em várias empresas de referência nacional. Foi administrador do Banco de Portugal e entre 2007 e 2009 foi presidente da Sociedade Lusa de Negócios, grupo proprietário do BPN.

É vice-presidente da Assembleia Geral da Caixa Geral de Depósitos desde julho de 2011 e professor convidado da Universidade Católica, onde tem regido a cadeira de Direito Processual Administrativo. É advogado desde 1964.

Recebeu várias condecorações nacionais e internacionais: Mérito Militar de 1ª classe (México); Ordem Jugoslavenske Zastav Salentom (Jugoslávia); Grand Cross of the British Empire (Grã Bretanha); Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo; Cavaliere di Gran Croce dell¿ Ordine al Mérito della Repubblica Italiana (Itália); Honorary Doctoral Degree of Humane Letters atribuído pela Universidade de Massachussets, Darmouth; Doutor honoris causa em Ciências Jurídicas pela Universidade Católica Portuguesa.