O Conselho de Jurisdição do PSD/Madeira decidiu arquivar as queixas apresentadas pelo líder regional do partido, Alberto João Jardim, contra o ex-presidente da câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, disse à Lusa o responsável deste órgão do partido.

«Confirmo que foram arquivadas as queixas apresentadas pelo presidente do PSD/M contra Miguel Albuquerque, na sequência de posições veiculadas em artigos de opinião», afirmou José Prada.

«Da nossa parte o processo está resolvido», sublinhou.

Comentando esta decisão, Miguel Albuquerque considerou que «num partido democrático o mais lógico é este tipo de processos serem arquivados».

«A atitude do líder do partido foi só para me intimidar e, mais uma vez, não deu resultado», adiantou o candidato à liderança do PSD/M.

Segundo o social-democrata, «estas atitudes intimidatórias vão continuar para silenciar». «Ele vai continuar a tentar calar-me, mas não me vai calar», assegurou Miguel Albuquerque.

O candidato à sucessão de Jardim argumentou que «os próprios estatuto do partido dizem que é dever do militante alertar para as ações dos políticos», opinando que «neste caso o Conselho de Jurisdição esteve bem ao não sancionar, não dando provimento a esta queixa».

Miguel Albuquerque garantiu que o seu projeto de liderança «vai manter o seu rumo até às eleições internas em dezembro deste ano».

«Agora é fundamental assegurar condições de igualdade e equidade a todas as candidaturas, sem este tipo de manobras intimidatórias», concluiu.

Em janeiro deste ano, o presidente da comissão política do PSD/Madeira, Alberto João Jardim, apresentou queixas no Conselho de Jurisdição do partido contra Miguel Albuquerque.