A ministra das Finanças disse esta sexta-feira que não é possível evitar os cortes nas áreas em que há uma intervenção pública, sublinhando que também o ensino superior é afetado pelas «fortíssimas restrições» que o país atravessa.

«Se é possível evitar cortes no ensino superior? Não, nem no ensino superior, nem no resto», afirmou a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, em resposta a perguntas dos alunos da Universidade de Verão do PSD, que decorre em Castelo de Vide até domingo.

Sublinhando que «o ensino superior, como todas as outras áreas, vive num país que tem fortíssimas restrições de recursos e deve adaptar-se«, Maria Luís Albuquerque notou que tal não lhe tira importância.

Aliás, acrescentou, o facto de ser ensino superior dá-lhe uma responsabilidade acrescida porque se está a falar das elites do país, que «devem ser os primeiros a compreender as dificuldades e a estar do lado de quem as quer resolver».

Maria Luís Albuquerque referiu ainda que ao ensino superior e generalidade das áreas em que há uma intervenção pública, «é pedido que sejam mais eficientes, que consigam produzir mais e melhores resultados com recursos mais reduzidos que obrigam também a uma melhor gestão».

«O ensino superior tem uma extraordinária importância, tem tido uma evolução fantástica, todos os dias temos notícias de como o nosso ensino superior está a ganhar reconhecimento internacional e tem também um enorme palco mediático, que faz com que aquilo que parece ser não seja necessariamente aquilo que é», acrescentou.