A reunião da Presidente da Assembleia da República (AR) com os líderes parlamentares terminou esta quarta-feira sem consenso para que um representante dos capitães de Abril discurse no parlamento na sessão comemorativa dos 40 anos da Revolução dos Cravos.

O resultado da reunião, que se iniciou pouco depois das 19:00 e durou cerca de uma hora, foi revelado num comunicado divulgado pelo gabinete de Assunção Esteves.

«Em reunião, que hoje se realizou ao fim da tarde entre a presidente do parlamento e os representantes dos grupos parlamentares, não ocorreu o consenso necessário para a intervenção de um representante da Associação 25 de Abril na sessão solene comemorativa [dos 40 anos do 25 de Abril]», informa a nota do gabinete de Assunção Esteves.

Na reunião de hoje, prossegue o texto, a presidente da AR e os deputados «expressaram, unanimemente, o seu respeito e gratidão pela coragem dos capitães de Abril, com o seu legado da democracia, e reafirmaram o seu desejo sincero de os ter presentes nestas cerimónias».

Fonte da bancada socialista disse à agência Lusa que durante a reunião o PS manifestou uma posição de abertura face à possibilidade de um representante dos capitães de Abril discursar em plenário.

Antes da reunião com os líderes parlamentares, pelas 18:00, a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, e o presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, estiveram lado a lado, no parlamento, na inauguração da exposição «O Nascimento de uma Democracia», coordenada por José Pacheco Pereira.

«Os capitães de Abril tiveram a grandeza de se dirigir aqui, àquilo que eu chamo a criação, a democracia, e vivificar estas imagens com a perspetiva do criador. Isto vai enriquecer o momento de inauguração desta exposição», congratulou-se a presidente da Assembleia da República, num curto discurso.

Depois, Pacheco Pereira, Assunção Esteves e Vasco Lourenço, seguidos por deputados, funcionários e outros convidados percorreram a exposição, que ocupa os Passos Perdidos e os corredores da Assembleia da República, mas a comunicação social não os pôde acompanhar, tendo ficado circunscrita a pontos fixos de observação.

Antes ainda, Assunção Esteves esteve na Associação 25 de Abril, onde quis «deixar claro» que «o carinho e a gratidão sem limites» que o parlamento deve aos capitães de Abril nunca esteve em causa.

«A minha vinda aqui junto dos capitães de Abril tem uma intenção clara, a de deixar claro no espaço público que o carinho e a gratidão sem limites que parlamento deve aos capitães nunca esteve nem pode estar em causa», declarou Assunção Esteves.