O secretário nacional do PS para a Organização, Miguel Laranjeiro, contrariou hoje a tese do ex-presidente do PSD Marques Mendes, sustentando que em democracia o descontentamento face ao Governo expressa-se no voto e não nas redes sociais.

Miguel Laranjeiro, deputado do PS eleito pelo círculo de Braga, falava num comício dos socialistas em Barcelos, num discurso em que criticou a atuação do PCP e do Bloco de Esquerda contra o PS, mas, sobretudo, a atuação da coligação PSD/CDS nesta campanha europeia.

«Vamos ajudá-los a terminar com alguma dignidade esta campanha com dignidade», declarou Miguel Laranjeiro.

Mas o secretário nacional do PS para a Organização também respondeu ao apelo feito por Marques Mendes na semana passada, também em Barcelos, segundo o qual os eleitores da área do PSD e do CDS descontentes com o Governo devem desabafar nas redes sociais, não deixando de votar na Aliança Portugal.

«Para nós, a democracia não acaba no Facebook, ou nas redes sociais. A democracia começa no voto, começa no exercício de um direito cívico», contrapôs o membro do Secretariado Nacional do PS.

No primeiro discurso do comício, o presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, defendeu que o voto «é a arma» dos cidadãos e sustentou que as eleições europeias poderão constituir «o primeiro passo para a vitória do PS nas eleições legislativas».

«O PS exige que a União Europeia passe para o primado dos valores e dos cidadãos. Se somos união, temos de ser união nos deveres mas também nos direitos», disse.

Isabel Coutinho, presidente do Departamento de Mulheres Socialistas, também candidata ao Parlamento Europeu, levantou a plateia quando afirmou, com veemência, que «está na hora deste Governo ir embora».

Depois dirigiu-se ao líder do PS: «António José Seguro, tu tens a grande responsabilidade de devolver a este país», declarou.