O PSD recebeu apenas um donativo, no valor de 160 euros, na campanha para as legislativas de 2011. Já o PS angariou muito menos dinheiro do que em anos anteriores. Factos que levantaram suspeitas à entidade que fiscaliza as contas partidárias, de que os partidos queriam aumentar a subvenção do estado. As dúvidas acabaram por desaparecer com as justificações dadas pelos partidos.

Se em 2005, o PSD recebeu 353 mil euros em donativos para a campanha eleitoral, seis anos mais tarde, em 2011, o valor angariado ficou-se pelos 160 euros. Já o PS, em 2005 angariou 449 mil euros e, nas últimas legislativas, ficou-se pelos 28 mil euros.

De acordo com a rádio TSF, as enormes diferenças dos montantes levantaram dúvidas, num primeiro relatório, à entidade que analisa as contas e financiamentos políticos e que ajuda tecnicamente o Tribunal Constitucional.

A suspeita que recaía sobre os partidos era de fraude como, por exemplo, a possibilidade de estarem a esconder donativos para, assim, conseguirem receber uma maior fatia das subvenções do estado.

Questionados pela entidade fiscalizadora, os partidos responderam. O PSD negou as acusações e explicou que a lei não permite recolha de donativos nas legislativas, apenas de fundos. Já os socialistas disseram que esta foi uma eleição inesperada e não houve tempo para angariar dinheiro.

As explicações dos socialistas foram consideradas esclarecedoras pela entidade que trabalha com o Tribunal Constitucional, enquanto as explicações dos sociais-democratas foram vistas como satisfatórias.

Certo é que na decisão final, os juízes detetam irregularidades nas contas da campanha de 2011 de todos os partidos.