O embaixador de Portugal em Timor-Leste, Manuel Gonçalves de Jesus, reuniu-se esta segunda-feira com o primeiro-ministro e com o ministro da justiça timorenses, com quem abordou «diversos assuntos», como a decisão de expulsar funcionários internacionais, incluindo portugueses.

«Conversamos sobre diversos assuntos, nada que valha a pena dizer-vos neste momento», afirmou o embaixador de Portugal à Rádio Televisão de Timor-Leste, após os encontros com Xanana Gusmão e Dionísio Babo.

No entanto, o ministro da Justiça timorense disse que o encontro serviu para fazer um «follow up (seguimento) das resoluções do parlamento», acrescentando que se vai deslocar «em breve» a Portugal e Cabo Verde.

No encontro participaram também o ministro dos Negócios Estrangeiros, José Luís Guterres, bem como o vice-ministro da Justiça, Ivo Valente, e a embaixadora de Timor-Leste em Portugal, Maria Paixão da Costa.

O Governo de Timor-Leste ordenou no dia 3 de novembro a expulsão, no prazo de 48 horas, de oito funcionários judiciais, sete portugueses e um cabo-verdiano.

No dia 24 de outubro, o parlamento timorense tinha aprovado uma resolução a suspender os contratos com funcionários judiciais internacionais «invocando motivos de força maior e a necessidade de proteger de forma intransigente o interesse nacional» e outra a determinar uma auditoria ao sistema judicial do país.

Em entrevista à Lusa na semana passada, o primeiro-ministro timorenses explicou que a decisão estava relacionada com o incumprimento da resolução, decidida depois de terem sido verificados «erros inadmissíveis» nos processos judiciais que envolvem as empresas petrolíferas, no valor de 378 milhões de dólares.