A vice-presidente social-democrata Teresa Morais assegurou esta sexta-feira que o PSD fará "uma oposição responsável", dando contributos para temas que considera importantes, e anunciou dois projetos de resolução sobre justiça e coesão social.

Teresa Morais falava em conferência de imprensa, depois da primeira Comissão Política Nacional do PSD após a reeleição de Pedro Passos Coelho como líder social-democrata, reunião onde foi sublinhada a importância do papel do PSD "enquanto maior partido, agora na oposição".

Quem está no governo é o PS, com aqueles que escolheu como seus aliados e que o PSD fará uma oposição responsável e dará os seus contributos para os temas que considera serem importantes para a melhoria das condições de vida das portuguesas e dos portugueses", assegurou.

Explicando que na primeira reunião da Comissão Política Nacional do PSD esteve em cima da mesa a "apresentação das propostas agora que o partido se encontra na oposição", a vice-presidente social-democrata recordou que nas últimas semanas foram apresentadas "mais de 150 propostas sobre temas tratados no Programa Nacional de Reformas, que o Governo apresentou publicamente".

Na próxima semana o PSD apresentará dois novos projetos de resolução sobre justiça e coesão e igualdade social", antecipou ainda.

Segundo Teresa Morais, a nova Comissão Política "abordou também o momento económico, político e social em que o país se encontra".

Questionada se o PSD designou um porta-voz – funções que nos últimos três anos foram assumidas pelo vice-presidente Marco António Costa - a deputada disse que "formalmente a figura não existe, de resto não existiu nunca".

De facto houve pessoas que falaram pelo partido, como continuará a haver. Sendo eu vice-presidente do partido, neste momento é natural que vos esteja a falar hoje, como poderá suceder que amanhã ou para a semana haja uma outra voz a falar em nome da direção nacional do partido. Não há uma designação formal de um porta-voz", explicou.

A 24 julho de 2013, a Comissão Política Nacional do PSD deliberou nomear Marco António Costa como porta-voz do partido.

A nova comissão política do PSD foi eleita, no congresso de Espinho, com quase 79,8% dos votos, o pior resultado para este órgão desde que Passos Coelho é presidente do partido.

O órgão integra como novas vice-presidentes Maria Luís Albuquerque, Sofia Galvão e Teresa Morais. Mantêm-se como vice-presidentes Jorge Moreira da Silva, Marco António Costa e Teresa Leal Coelho.

José Matos Rosa mantém-se igualmente no cargo de secretário-geral, completando assim a equipa da Comissão Permanente, órgão de direção mais restrito do PSD, e que tem uma nova composição totalmente paritária - quatro homens, incluindo o presidente do partido, e quatro mulheres.