O governo madeirense anunciou que vai proceder judicialmente contra o presidente do PS/Madeira devido à «gravidade e falsidade» afirmações que esta segunda-feira proferiu sobre alegados desvios dos apoios comunitários para a agricultura da região, noticia a Lusa.

A decisão do executivo insular é veiculada em comunicado distribuído no Funchal pelas secretarias regionais do Ambiente e Recursos Naturais e a do Plano e Finanças.

Estes departamentos governamentais garantem que a aplicação dos fundos comunitários é feita «sob um rigoroso controlo das entidades do União Europeia, nacionais e regionais».

«Generalidades difamatórias»

O executivo madeirense critica o facto do líder socialista madeirense ter ficado «mais uma vez por generalidades difamatórias sem denunciar nenhum caso concreto em que tenha havido irregularidades da natureza que apontou, o que não deixa do ser significativo».

«Face à gravidade e falsidade das afirmações proferidas, que colocam em causa o bom nome dos diferentes serviços e técnicos intervenientes nos processos, o Governo Regional da Madeira vai de imediato desencadear os necessários procedimentos judiciais contra o autor dos mesmos», diz a mesma nota informativa.

O Governo Regional pretende que seja assim «esclarecida a verdade e responsabilizado pela falsidade das afirmações proferidas e pelos danos causados aos intervenientes» o presidente do PS/M.

«Esquemas paralelos»

Em conferência de imprensa, João Carlos Gouveia questionou a aplicação dos fundos destinados à agricultura madeirenses, apontando que os dinheiros acabam por ficar «derramados numa rede comercial que vive à custa destes recursos financeiros» e «não foram canalizados para os que mais precisam».

Sustentou que houve desvios desses apoios comunitários destinados à agricultura madeirense, adiantando que os fundos que ficaram «derramados em esquemas paralelos» na região.