Atualizada às 23:17

O ex-primeiro-ministro José Sócrates saiu cerca das 22:20 deste sábado do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), em Lisboa, mas desconhece-se se já foi interrogado.

José Sócrates abandonou o TCIC, onde esteve durante mais de cinco horas, numa viatura descaracterizada, no banco de trás, que saiu das garagens do edifício do Campus da Justiça à frente de outro veículo.

O ex-primeiro-ministro vai passar a segunda noite consecutiva nas instalações do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, em Moscavide, disse à Lusa fonte policial.

Os restantes três detidos no âmbito do mesmo inquérito, o empresário Carlos Santos Silva, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o motorista João Perna, vão regressar ao estabelecimento prisional anexo ao edifício da Polícia Judiciária (PJ), onde já passaram a noite passada, mas ainda se encontravam no TCIC cerca das 22:50.

O advogado do ex-primeiro-ministro, João Araújo, disse aos jornalistas à porta do TCIC que fará «uma declaração amanhã [domingo], eventualmente», sem esclarecer qualquer questão relacionada com o processo, nem sequer se o interrogatório a José Sócrates já tinha sido iniciado ou não.

O ex-primeiro-ministro José Sócrates foi esta sexta-feira detido no âmbito de um processo em que se investigam crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção, refere uma nota da Procuradoria-Geral da República emitida na noite desta sexta-feira. É a primeira vez na história da democracia portuguesa que um ex-primeiro-ministro é detido para interrogatório judicial.