Depois de ouvir cantar as janeiras, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Passos Coelho disse que Portugal vive "um ciclo político novo, com um Governo novo" e que "se vai abrir também um novo ciclo político marcado pela eleição de um novo Presidente da República".

Em seguida, o presidente do PSD falou na "previsibilidade que vem associada a algumas tradições", declarando: "Algumas delas não foram seguidas neste novo ano, mas esperemos que outras boas tradições possam ser seguidas e que a previsibilidade para que apontam muitas das sondagens que têm sido publicadas possa vir a concretizar-se".

Numa alusão a Marcelo Rebelo de Sousa, que nunca nomeou, o anterior primeiro-ministro disse ainda que espera que se possa "olhar os próximos anos com mais confiança também a partir de Belém".

Antigo presidente do PSD, o professor universitário e comentador político Marcelo Rebelo de Sousa anunciou a sua candidatura a Presidente da República no dia 9 de outubro.

Em reuniões simultâneas realizadas a 10 de dezembro, os conselhos nacionais do PSD e do CDS-PP, aprovaram recomendações de voto em Marcelo Rebelo de Sousa, dirigidas aos respetivos eleitorados.