O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, remeteu na terça-feira as questões relativas à lista às eleições europeias para depois do Congresso social-democrata de 21, 22 e 23 de fevereiro, segundo o porta-voz deste partido.

Marco António Costa transmitiu esta informação aos jornalistas em declarações à margem da reunião do Conselho Nacional do PSD, que teve início às 21:00 de terça-feira, num hotel de Lisboa.

Segundo o coordenador e porta-voz da direção nacional social-democrata, nesta reunião, Pedro Passos Coelho fez um discurso «em tom otimista» e «falou de europeias, para dizer que o PSD, até ao congresso, não tem rigorosamente nada a dizer sobre listas, que as questões das listas só serão tratadas após o Congresso, com os novos órgãos eleitos».

Na sequência da crise política de julho deste ano, o PSD e o CDS-PP comprometeram-se a apresentar uma lista conjunta às eleições europeias de 25 de maio de 2014.

Marco António Costa adiantou que, perante o Conselho Nacional do PSD, Pedro Passos Coelho referiu «que, naturalmente, quer ele quer Paulo Portas apresentarão aos respetivos congressos o compromisso» assumido em julho.

Alguma imprensa avança, no entanto, que o presidente do PSD já abordou Paulo Rangel para ser o cabeça-de-lista da coligação às europeias de 2014.

O Conselho Nacional do PSD aprovou na terça-feira à noite, por unanimidade, a realização de diretas para a liderança do partido a 25 de janeiro e do seu XXXV Congresso nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro, em Lisboa.

Por sua vez, o CDS-PP tem um Congresso marcado para 11 e 12 de janeiro, em Oliveira do Bairro.