O secretário-geral do PS, António Costa, disse este sábado que o Governo PSD/CDS-PP paralisou as Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) com a retirada de técnicos enviados para requalificação na Segurança Social.

O líder socialista afirmou que o que o Governo fez ao enviar mais de 600 funcionários da Segurança Social para a lista da requalificação «foi retirar a estas comissões os técnicos que eram essenciais para o seu funcionamento», numa altura em que as situações de crianças e jovens em risco têm vindo a aumentar no país.

Costa afirmou, num encontro com militantes em Bragança, que o afastamento destes técnicos «veio paralisar o funcionamento das CPCJ e diminuir a capacidade de acorrer às necessidades das crianças e jovens em risco».

«Se há serviço que o Estado não pode deixar de considerar prioritário é precisamente acudir às crianças e jovens em risco e aquilo que foi feito nos despedimentos da Segurança Social está a afetar diretamente estas crianças e estes jovens e isto é absolutamente inaceitável», declarou, citado pela Lusa.

O secretário-geral do PS defendeu que as comissões são fundamentais para assegurar uma resposta local célere junto das famílias e mobilizar a sociedade e as instituições antes que a as situações se tornem irreversíveis.

O responsável disse que «o setor etário mais atingido pelo aumento da pobreza foram as crianças», com 31% dos menores de 18 anos numa situação de risco de pobreza em Portugal.

«A pobreza infantil é a maior ameaça para o nosso futuro porque significa não só pobreza hoje, mas a reprodução e novas gerações de pobreza nos anos que vêm», declarou.