O cabeça de lista do PS às eleições europeias de maio, Francisco Assis, mostrou-se esta quinta-feira disponível para debater com Paulo Rangel (PSD/CDS-PP) «absolutamente tudo» do passado recente, mas reclamou uma discussão séria sobre o presente e futuro.

«Paulo Rangel parece ter uma obsessão com o passado recente. Se quiser, em local e hora a determinar, estou disponível para uma discussão de natureza mais histórica para discutir o passado. E a seguir concentremo-nos no fundamental: vamos discutir face a face o presente e o futuro da Europa e de Portugal», disse o cabeça de lista socialista em declarações aos jornalistas no parlamento.

Assis falava depois de o cabeça de lista do PSD e CDS-PP ao sufrágio europeu ter considerado esta manhã que existe uma contradição entre António José Seguro e Francisco Assis na defesa da herança dos governos socialistas liderados por José Sócrates.

Paulo Rangel, diz Francisco Assis, «partiu para esta campanha eleitoral procurando falsificar a história recente do nosso país e vendendo uma descrição da realidade do que se passou nos últimos anos».

«É mais fácil tentar enganar as pessoas acerca do passado do que acerca do presente», notou o deputado do PS.