O secretário-geral do PS reuniu-se esta quarta-feira com os deputados socialistas na Assembleia da República e pediu-lhes que contribuam para reduzir o clima de crispação política que se seguiu à reprovação do programa de Governo PSD/CDS-PP no parlamento.

António Costa, segundo fontes da bancada socialista, fez estes apelos à "calma" e à "prudência" na reunião do Grupo Parlamentar do PS, que teve lugar ao início da tarde de hoje, mas que normalmente se realiza às quintas-feiras de manhã.

Na reunião, de acordo com as mesmas fontes do PS, o presidente do Grupo Parlamentar, Carlos César, referiu por sua vez que se encontra em preparação um mecanismo de consulta semanal entre os líderes das bancadas da esquerda (PS, PCP, Bloco de Esquerda e PEV), na sequência do acordo para a formação de um executivo de iniciativa socialista.

Porém, segundo referiu Carlos César aos seus deputados, o modelo concreto dessa reunião semanal entre os líderes parlamentares da esquerda ainda não se encontra fechado, admitindo-se, porém, que proceda sempre à apreciação de matérias de caráter global e eminentemente políticas.

Ou seja, quando estiverem em análise matérias temáticas, estas deverão ser remetidas para os especialistas dos grupos parlamentares nessas áreas específicas.

Na reunião do Grupo Parlamentar do PS, Ascenso Simões, ex-secretário de Estado e cabeça de lista por Vila Real nas últimas eleições legislativas, comunicou que já tinha transmitido ao líder da bancada socialista a sua intenção de votar contra os quatro diplomas (PS, PCP, Bloco e PEV) que pretendem eliminar a aplicação de taxas moderadoras para quem recorre à interrupção voluntária da gravidez (IVG).

Os diplomas para a revogação da aplicação de taxas moderadoras em situações de recurso à IVG vão ser discutidos em plenário na quinta-feira e votados na sexta-feira, e correspondem a um compromisso assumido por António Costa na última campanha eleitoral no sentido de eliminar as alterações introduzidas pelo Governo PSD/CDS-PP à lei do aborto no final da legislatura passada.

Ascenso Simões frisou que a sua posição foi sempre contrária à mudança da anterior para a atual lei, que considera "exagerada", acrescentando, ainda, que também se posicionou sempre contra a realização de referendos sobre aborto.

"Sou contra referendos a questões de consciência", explicou perante os deputados socialistas.

Na reunião da bancada socialista, o antigo ministro socialista Capoulas Santos também se manifestou contra o preâmbulo de um projeto do Bloco de Esquerda que pretende proibir organismos geneticamente modificados (OGM), considerando que esse diploma é "radical" e contrário às posições do PS.

Fonte da direção da bancada socialista referiu à agência Lusa que esse projeto do Bloco de Esquerda poderá a prazo baixar diretamente a especialidade sem votação na fase de generalidade.