O eurodeputado socialista, Francisco Assis, afirmou hoje, no Porto, apoiar «claramente» o líder do PS, António José Seguro, considerando não ser tempo de pôr em causa a liderança do partido.

Seguro obriga Costa a reunir tropas para conseguir congresso extraórdinário

«A questão da liderança não se pode, ou não se deve colocar nas presentes circunstâncias, e quero que fique claro que se porventura essa questão se vier a colocar eu apoiarei o atual secretário-geral do PS, António José Seguro», afirmou aos jornalistas.

Francisco Assis, eleito no passado domingo eurodeputado, lembrou que sob a liderança de António José Seguro o PS já ganhou duas eleições e, por esse motivo, deve haver cuidado para não transformar vitórias em derrotas.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, anunciou hoje que está disponível para avançar para a liderança do PS e disse que na quarta-feira se reunirá com o secretário-geral do partido, António José Seguro.

«Estou disponível para tudo e falarei amanhã [quarta-feira] com o secretário-geral. Estou disponível, não quero que haja qualquer tabu, qualquer equívoco, eu estou disponível para assumir as minhas responsabilidades», disse António Costa.

Também Ana Gomes considerou hoje «inoportuna e desajustada» a disputa da liderança do PS, sublinhando que isso terá consequências para a coesão do partido. Lembrando que dentro de um ano, «no máximo», irão realizar-se eleições legislativas, Ana Gomes questionou a oportunidade de uma disputa interna: «o que está em causa é a oportunidade do PS se embrenhar agora numa disputa interna que não pode deixar de ter consequências para a coesão do partido».

O histórico socialista Manuel Alegre considerou, esta quarta-feira, uma «atitude de risco» o anúncio de António Costa da disponibilidade para disputar a liderança do Partido Socialista, dizendo que vai lançar «um debate e reflexão» no partido.

Veja mais reações:

Santos Silva mostra cartão do PS e declara apoio a António Costa

Passos em silêncio sobre PS

Vasco Cordeiro: congresso do PS é «imperativo político imediato»

PS Lisboa: Marcos Perestrello defende eleições diretas

Maria de Belém diz que é pouco inteligente desvalorizar vitória do PS

Vítor Ramalho: «Candidatura de António Costa é positiva»

Não é «inteligente» discutir liderança no PS após vitória

José Lello elogia «ganhador» António Costa