Para o eurodeputado e fundador do PDR Marinho Pinto, a prisão preventiva de José Sócrates «não mancha a dignidade» de todos os políticos, sugerindo que «se calhar há alguns bem piores» que deviam estar presos.

«Uma andorinha não faz a primavera e a prisão de um político não mancha a dignidade de todos os outros. O problema é que se calhar há alguns políticos bem piores do que o Sócrates que deviam estar na cadeia», afirmou Marinho Pinto, que formalizou esta segunda-feira o Partido Democrático  Republicano, na 4ª secção do Tribunal Constitucional, mediante a entrega das assinaturas necessárias. 

«Se calhar há políticos que cometeram factos bem mais graves do que aqueles que são imputados hoje a Sócrates e estão aí em liberdade a gastar de forma obscena e a exibir de forma obscena as fortunas que acumularam no exercício das funções políticas», acrescentou.

«A justiça é como é. (...) Prender para investigar lembra os piores tempos da inquisição e do Santo Ofício, os piores tempos das ditaduras do século XX», sustentou o ex-bastonário da Ordem dos Advogados.

Marinho Pinto, advogado, disse lamentar que em Portugal «se prenda primeiro e se investigue depois», considerando que essa forma de a Justiça portuguesa atuar «humilha as pessoas».

Recorde-se que o ex-primeiro-ministro José Sócrates está detido, em prisão preventiva, no Estabelecimento Prisional de Évora, indiciado de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.