O candidato às primárias do PS António Costa afirmou hoje que tem «os olhos e a atenção« centrados sobretudo no dia 29, sublinhando que na campanha tem tentado «não abrir nem agravar feridas« dentro do partido.

«Estou atento e ansioso pela vitória no dia 28, mas tenho o olho e a atenção centrados sobretudo no dia 29. Por isso, tento procurado não abrir nem agravar feridas que depois serão mas difíceis de sarar», referiu.

Costa classificou de «absolutamente inaceitável» a campanha de «ataques pessoais» que diz estar a ser feita pela candidatura adversária de António José Seguro.

Disse ainda que «estão enganados» aqueles «que acham que, arregimentando inscritos como simpatizantes, criam sindicatos de voto que vão condicionar a vontade dos socialistas no próximo da 28».

«Estão enganados. Os socialistas vão falar, e vão falar os militantes do PS e os militantes que têm estado inativos no PS, e vão falar os simpatizantes do PS. E quantos mais falarem mais autêntica será a voz que se fará ouvir e essa voz será uma voz de mudança no PS», acrescentou.

Regozijando-se com o regresso do «brilhozinho nos olhos» e do «sorriso» que «há muito não se viam» nos socialistas, Costa reiterou que a sua candidatura não é de «uma certa Lisboa», mas sim de todo o país, do litoral ao interior.

Numa referência ao seu adversário nas primárias, Costa referiu que o PS «não pode ter um discurso populista quando é preciso ir buscar votos», considerando que isso «descredibiliza» o partido.