O secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) foi recebido por Marcelo Rebelo de Sousa, esta sexta-feira, em Belém, e convidou o Presidente da República a visitar a sede desta instituição, em Paris.

Ángel Gurría esteve reunido com Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém, em Lisboa, durante cerca de uma hora, num encontro em que também esteve o antigo ministro da Economia Álvaro Santos Pereira, atualmente um dos diretores do departamento de economia da OCDE.

No final da reunião, o secretário-geral da OCDE disse à agência Lusa que esta era para ser "uma visita de cortesia, que se transformou numa visita de trabalho intenso, com muitas discussões, muita substância", e adiantou: "Convidámos o senhor Presidente a visitar a OCDE".

De acordo com Ángel Gurría, durante esta audiência o chefe de Estado português foi informado do trabalho desenvolvido pela OCDE em cooperação com Portugal e manifestou "muito interesse em dar-lhe seguimento".

"O Presidente deixou-nos muitas tarefas", acrescentou.

O secretário-geral da OCDE referiu que essas tarefas estão relacionadas com "aspetos que têm que ver com a competitividade, a produtividade, com o futuro dos jovens, com a educação".

"Estamos muito comovidos pelo tempo e atenção que nos deu o senhor Presidente e também pelo interesse que mostrou pelo nosso trabalho", declarou.

Ángel Gurría discursou esta sexta-feira de manhã no Fórum Global de Produtividade da OCDE, em Lisboa, e aproveitou para comentar a posição da Comissão Europeia sobre os défices excessivos de Portugal e Espanha, considerando que a "última coisa" de que a Europa precisa neste momento é "criar divisões" através da aplicação de sanções e pedindo flexibilidade às instituições europeias.