O secretário-geral do PS reconheceu esta sexta-feira que Marcelo Rebelo de Sousa é um "candidato forte" às presidenciais de 2016, mas mostrou confiança na passagem à segunda volta de um candidato da área socialista para o sufrágio de janeiro.

"O professor Marcelo Rebelo de Sousa será certamente sempre um candidato forte", admitiu António Costa, que falava aos jornalistas no final de uma reunião entre uma delegação do PS e uma outra do partido ecologista "Os Verdes", encontro tido na sede deste último partido, em Lisboa.


Marcelo não pode ter a "expectativa de contar com o apoio do PS", contou ainda António Costa, lembrando a decisão de segunda-feira do partido, que em Comissão Política acordou conceder liberdade de voto aos socialistas na primeira volta das eleições presidenciais entre os candidatos do seu espaço político, para já, Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém.

"O apelo que fazemos é que todos os socialistas apoiem, entre os dois candidatos da nossa área [Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém], aquele que preferem, e participem ativamente na campanha eleitoral e contribuam para que possam ter um bom resultado na primeira volta", declarou então líder do PS.
 

O antigo presidente do PSD Marcelo Rebelo de Sousa anunciou hoje, às 18:00, em Celorico de Basto, Braga, a sua candidatura à Presidência da República.

Mas se este anúncio preocupa António Costa, à direita, as reações são positivas. O vice-presidente do PSD, Carlos Carreiras afirmou, a título pessoal, ter recebido com “grande agrado” o anúncio. Também hoje, o vice-presidente do CDS-PP, Diogo Feio, disse que vai votar em Marcelo Rebelo de Sousa.