Marcelo Rebelo de Sousa anunciou, esta sexta-feira, a candidatura oficial à Presidência da República. O até agora comentador da TVI fez o anúncio na Biblioteca Municipal de Celorico de Basto, distrito de Braga.

"Cumprirei o meu dever moral de pagar a Portugal o que Portugal me deu. Serei candidato à Presidência da República, pelos portugueses e portuguesas".

 
O ex-presidente do PSD esclareceu que tomou a decisão de se candidatar após as eleições legislativas de domingo, quando teve de optar entre romper com uma "posição estável", ou pagar ao país tudo o que dele recebeu.

“Ponderada a situação nacional à saída das eleições para a Assembleia da República, tinha de fazer uma escolha: ou escolhia a solução que menos punha em causa o que faço com entusiasmo, e os projetos pessoais de futuro, e faltava à chamada como alguns garantiam que eu faria, ou escolhia a solução que rompia com posições estáveis, sedutoras nesta fase da vida, e pensava mais que tudo no meu dever de pagar ao país o que dele recebi”, disse.

Marcelo Rebelo de Sousa optou por pagar um "dívida moral".

“O que recebi de educação, que muitos não puderam ter, de saúde, de oportunidades de vida, de experiência no Estado, nas autarquias locais, na comunicação social, na participação em cimeiras europeias e no conhecimento de protagonistas da vida internacional. É tempo de pagar esta dívida moral. De outro modo, sentiria até ao final dos meus dias o remorso por ter falhado por omissão."


O candidato a sucessor de Cavaco Silva avança com a consciência que, desta forma, os portugueses nunca poderão dizer que não tentou chegar a chefe de Estado, deixando agora essa decisão para as eleições.

"As portuguesas e os portugueses não podem dizer que fugi à prova do voto, que me escondi atrás das minhas conveniências e agora podem escolher. Entre começarmos hoje uma caminhada de meses de angariação de assinaturas e depois de campanha eleitoral, ou irmos mais longe e iniciarmos, neste instante, uma caminhada de cinco anos."


“As portuguesas e os portugueses têm dado de si próprios à sua pátria, tanto têm penado nestes anos de crise que esperam de quem os represente o afeto de uma palavra, de um gesto, de uma solidariedade, de uma lágrima, de um sorriso, mas sobretudo uma vontade de mais justiça, de mais orgulho de ser português," acrescentou.

A última sondagem da TVI indicou que Marcelo Rebelo de Sousa tem uma larga vantagem nas intenções de voto sobre os outros candidatos ou eventuais candidatos. 

Com este anúncio, Marcelo antecipa-se a Maria de Belém, que vai apresentar a sua candidatura na terça-feira. 

Segundo a sondagem da Intercampus para a TVI, o ex-líder do PSD teria uma vantagem de mais de 30 pontos percentuais para a segunda candidata, Maria de Belém, que obtém 17% das intenções de voto. 

Veja aqui o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa na íntegra.

Leia também:

Marcelo Rebelo de Sousa, o comentador que quer chegar a Belém

Marcelo Rebelo de Sousa vai ter festa de despedida na TVI