Se as eleições legislativas fossem hoje, o Partido Socialista ganhava, mas com uma margem muito pequena sobre o PSD, revela a sondagem da TVI/Intercampus, realizada na semana passada, e em que foram inquiridas mais de 4 mil pessoas.

Sondagem: Passos ou Seguro? Nem um, nem outro...

A sondagem da TVI/Intercampus revela que existiria um empate entre os chamados partidos do poder e nenhum conseguiria a maioria na Assembleia da República, no entanto, uma nova coligação PSD/CDS-PP arrecadaria mais votos que o PS.

Segundo os resultados apurados, o Partido Socialista iria vencer, com 29,1% dos votos. O PSD ficaria em segundo lugar, com 28,7%, ou seja, iria perder por uma margem ínfima: apenas 0,4% a menos que o PS, um valor que fica claramente dentro do intervalo de confiança.

Em terceiro lugar, ficaria a CDU, com 11,4%. O Bloco de Esquerda conseguiria 5,4% dos votos.

Quanto ao CDS-PP, ficaria em 5º lugar, com apenas 2,4% dos votos, o que significa que no seu conjunto, PSD e CDS teriam mais do que o PS: 31,1%.

A sondagem indica ainda que 4,6% das respostas mostram que o voto seria depositado num outro partido, nenhum dos que têm nesta altura representação na Assembleia da República.

Um outro dado a salientar é o facto inédito, em sondagens de opinião, dos votos brancos e nulos poderem representar 18,4% do total, ou seja, poderiam ocupar o terceiro lugar na lista.

Estes valores foram projetados de forma científica, a partir de uma sondagem, que mostrou haver 14,7% de indecisos, 13,5% de votos brancos ou nulos e ainda 11,9% de inquiridos que não sabem, ou não respondem.

Antes da projeção das respostas dos indecisos e de quem não sabe ou não respondeu, o PS ganhava com 21,4% dos votos e o PSD ficaria com 21%.

A CDU teria 8,4, o BE 4%, o CDS-PP 1,8 e 3,4% iriam votar noutro partido.

Apesar da ligeira vantagem do PS sobre o PSD, quando se pergunta sobre quem vai vencer as eleições legislativas de 2015, 55,2% diz que será o Partido Socialista, e apenas 17,5% acredita que será o PSD a recolher mais votos.



Ficha técnica

Sondagem realizada pela INTERCAMPUS para a TVI, com o objetivo de conhecer a opinião dos Portugueses sobre diversos temas da política nacional incluindo a intenção de voto em eleições legislativas.

População portuguesa, com 18 e mais anos de idade, eleitoralmente recenseada, residente em Portugal Continental, em lares com telefone fixo.

A amostra é constituída por 4004 entrevistas, com a seguinte distribuição proporcional por Sexo e Idade e Região:

A amostra foi estratificada proporcionalmente por região. Os respondentes foram selecionados através do método de quotas, com base numa matriz que cruzou as variáveis Sexo, Idade (3 grupos) e Região (NUTSII). Os lares foram aleatoriamente selecionados a partir de diretórios públicos de números de telefone fixo. No lar o respondente foi selecionado com base nas quotas pré-estabelecidas.

O cruzamento destas variáveis garantiu uma distribuição proporcional da amostra em relação à população portuguesa em estudo.

Estas variáveis foram definidas com base no Recenseamento Eleitoral da População Portuguesa (31/12/2013) da Direção Geral da Administração Interna (DGAI).

A informação foi recolhida com base num questionário, aplicado via telefone para a residência dos indivíduos, através do sistema CATI (Computer Assisted Telephone Interviewing). O questionário foi elaborado pela INTERCAMPUS.

A INTERCAMPUS conta com uma equipa de profissionais experimentados que conhecem e respeitam as normas de qualidade da empresa.

Os trabalhos de campo decorreram entre 19 e 24 de Maio de 2014.

Estiveram envolvidos 81 entrevistadores, devidamente treinados para o efeito, sob a supervisão directa dos técnicos responsáveis pelo estudo.

O erro máximo de amostragem deste estudo, para um intervalo de confiança de 95%, é de ± 1,5%.

A taxa de resposta obtida neste estudo é: 62,2%.