Momentos de irritação no Governo, com a secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade a ter de levantar a voz contra um deputado do Partido Socialista, no caso Fernando Serrasqueiro. Em causa um eventual email trocado por Maria Luís Albuquerque, então secretária de Estado, a Sérgio Monteiro, secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, sobre as Parcerias Público-Privadas.

«Eu tenho aqui, senhor secretário de Estado, um email que o senhor recebeu, enviado pela senhora Maria Luís Albuquerque, que diz o seguinte: Em reunião havida hoje com o senhor secretário de Estado, foi determinado que as Estradas de Portugal deve considerar os seguintes ajustamentos ao Orçamento de 2012. E começa a dar instruções sobre cortes. Até que em determinada altura diz: aumento de receita de portagens em 35 milhões de euros. Deve comunicar à Direção Geral, até ao final da manhã, que o tráfego vai aumentar nas estradas portuguesas em 35 milhões de euros de um dia para o outro», disse Fernando Serrasqueiro.

Na resposta, Sérgio Monteiro não escondeu o incómodo com a situação: «Devo sublinhar a enorme indelicadeza de trazer aqui um email trocado entre dois secretários de Estado. Eu nunca vi, acho isto o fim da picada. Acho que é um péssimo serviço que presta à democracia».

A situação continuou a ser abordada e levou o deputado do PSD Luís Menezes a intervir. «Peço que o senhor deputado Fernando Serrasqueiro distribua por todas as bancadas o documento entre dois secretários de Estado. Pensamos ser relevante, mas também considero grave que um documento interno do Governo seja trazido a público sem conhecimento dos mesmos», disse.

Serrasqueiro respondeu, agora mostrando um papel diferente. O socialista fala agora de uma fotocópia do artigo do «Correio da Manhã» que reproduz o email. A notícia é de 10 de março e surge o título «Governo manda aumentar receita».

A secretária de Estado não gostou nada da explicação e foi aí que se irritou a sério. «O senhor deputado disse ter no seu poder um email trocado entre dois secretários de Estado e não um recorte de jornal. Como é que obtém um email trocado entre dois elementos do Governo?».