O Partido Socialista já reagiu à proposta do Presidente da República para a formação de um Governo de salvação nacional que incluísse o PSD, o PS e o CDS.

«O PS discorda da decisão do Presidenta da República de não convocar eleições em Setembro, mas respeitamos o órgão institucional. O PS reafirma que não apoiará, nem fará parte de um Governo sem que os portugueses manifestem democraticamente a sua vontade através da realização de eleições», disse Alberto Martins numa declaração lida na sede do partido no Largo do Rato, em Lisboa.

«O PS escutou atentamente a declaração do Presidente e tal como lhe compete aguardará as iniciativas do Presidente da República», acrescentou, avisando desde já que «na opinião do PS esse diálogo não deverá excluir nenhum partido político com representação parlamentar».

«O PS não rejeita, como nunca rejeitou, nenhum diálogo, em particular quando está em causa o interesse nacional e o futuro dos portugueses», concluiu.