O candidato às primárias do PS, António Costa, considerou este sábado como «a primeira grande vitória» do movimento Mobilizar Portugal o número de simpatizantes inscritos para as primárias do dia 28.

A comissão eleitoral registou a entrada de 145 mil simpatizantes que, somados aos perto de 90 mil militantes, constituem um universo eleitoral de 235 mil votantes.

«É uma vitória certamente do Partido Socialista ter tantos simpatizantes e ter mobilizado tantos simpatizantes», afirmou António Costa, em Bragança, à margem da visita a uma empresa de carnes e fumeiro.

Para António Costa, «Mobilizar Portugal significa mobilizar os militantes do PS, os simpatizantes e muito eleitorado que está hoje descrente, desiludido, que sente que há um Governo sem soluções, mas também uma oposição sem alternativa».

Costa ressalvou que, apesar de a mobilização começar aqui, «depois passa por aquilo que é fundamental, que é mobilizar os recursos, o conjunto da sociedade, a capacidade empresarial, educativa, de formação de conhecimento, da produção de inovação».

«É esse esforço de mobilização nacional que é necessário fazer para podermos vencer esta crise e devolver confiança aos portugueses no futuro de Portugal», declarou.

O candidato às primárias do PS, que escolherão o candidato socialista a primeiro-ministro, considerou que se este movimento «tivesse sido em julho» o número seria o mesmo e o partido tinha «resolvido o problema mais depressa».

«Agora, temos de parar com essas discussões de questões de processo, de tricas pessoais, porque as pessoas detestam na política esse género de debate», defendeu.

António Costa defendeu, ainda, que «o que as pessoas querem e pedem aos políticos é que eles façam aquilo que lhes compete, que é concentrarem-se nos problemas dos portugueses e nos problemas do país».

Questionado sobre a possibilidade de existirem militantes de outros partidos entre os novos inscritos, Costa afirmou que «o risco é certamente diminuto».

«As pessoas são essencialmente sérias e temos de confiar na seriedade das pessoas. Quem se inscreveu fez uma declaração de honra», como reporta a Lusa.