Luís Filipe Menezes está a arriscar ser acusado de dois crimes em relação à lei eleitoral dos órgãos das autarquias, ao pagar rendas e outras despesas a moradores do Porto com dificuldades económicas.

Os crimes em causa são fraude e corrupção do eleitor e quebra da neutralidade e imparcialidade enquanto presidente da Câmara Municipal de Gaia, que, a serem provados, são punidos com crime prisão ou multa.

«Quem, mediante um certo artifício, levar o eleitor a votar em certo sentido pode ser punido com uma pena de prisão. Eu acho que esses pagamentos, à partida, são efetivamente de índole fraudulenta. A aparência é que é para favorecer o cidadão, mas por baixo disso está o desejo que votem na pessoa que faz isso», explicou o presidente da Comissão Nacional de Eleições, Fernando Costa Soares, à Antena 1.

A CNE não recebeu até ao momento qualquer queixa dos adversários de Menezes, mas pelo menos o Bloco de Esquerda já anunciou que o irá fazer.