O presidente da Junta de Freguesia de Padronelo, no concelho de Amarante, Joaquim Cândido Moreira, do PS, foi este domingo eleito presidente do conselho diretivo da Associação Nacional de Freguesias (Anafre) com 94% dos votos (532 votos).



De acordo com a Lusa, Cândido Moreira foi eleito numa lista única, depois de no sábado o independente Manuel Malícia Trindade, do Fundão, não ter conseguido reunir apoios suficientes para uma lista alternativa, que tinha como lema «em defesa da mudança e pela renovação».



No conselho diretivo, órgão para o qual houve 34 votos em branco, Cândido Moreira ficará acompanhado pelo antecessor, Armando Vieira (Oliveirinha, Aveiro - PSD) e por Francisco Firmino Jesus (Castelo, Sesimbra - PCP).



Comparativamente ao conselho diretivo que agora terminou funções, de uma lista de 21 pessoas o novo repete 12 nomes.



O novo presidente da mesa do congresso e do conselho geral é Diamantino dos Santos, presidente da Junta de Viseu (PSD), que foi eleito com 531 votos a favor (93,82%) e 35 em branco.



O conselho geral vai ser presidido por Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela, Lisboa (PSD), que conseguiu 524 votos a favor (92,58%) e 42 votos em branco.



O conselho fiscal passa a ser liderado por Dinis Pinto, presidente da Junta do Alvito, em Beja (PCP), que reuniu 526 votos a favor (92,93%) e 40 em branco.



O congresso da Anafre contou com 699 votantes inscritos, tendo perto de 81% das votações sido consideradas válidas, ou seja, 566. A abstenção foi de 19%.



Tradicionalmente, a Anafre é dirigida por uma lista de consenso com representantes dos partidos mais votados e quem preside é escolhido pelo partido com mais juntas ganhas nas autárquicas. Este ano, pela primeira vez, um independente anunciou a intenção de se candidatar, o que não conseguiu concretizar.



No sábado de manhã, Manuel Malícia Trindade tinha apelado aos participantes no congresso que o ajudassem a levar a votação uma segunda lista, mas à hora limite para apresentação das listas candidatas aos órgãos da Anafre apenas tinha conseguido 44 juntas de freguesia apoiantes, quando precisava de 50.