O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Philip Hammond, advertiu, esta quarta-feira, em Lisboa, que será necessária uma geração para derrotar os combatentes islâmicos e que continuarão a surgir outras manifestações do que disse ser uma «ideologia venenosa».

«Vamos derrotar o Estado Islâmico do Iraque e Síria. Mas temos de reconhecer que o desafio de derrotar o islamismo militante é maior que o desafio no Iraque e na Síria», disse o governante britânico, após um encontro com o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, no Palácio das Necessidades.

Está em causa uma «ideologia venenosa, que tem a sua manifestação corrente no Daesh» (Estado Islâmico do Iraque e da Síria, no acrónimo em árabe), considerou Philip Hammond, que avisou que mesmo após a derrota deste grupo extremista, surgirão «outras manifestações» desta ideologia.

Algo que já está a acontecer, nomeadamente na Líbia e com os radicais do Boko Haram, na Nigéria.

«Vamos continuar a lutar este desafio enquanto for preciso e vai levar uma geração para derrotar esta ideologia», afirmou.

Antes, o chefe da diplomacia britânica agradeceu o apoio de Portugal à coligação internacional liderada pelos Estados Unidos de combate ao autoproclamado Estado Islâmico.