O Partido Ecologista "os Verdes" (PEV) admitiu, esta sexta-feira, votar favoravelmente a proposta do Governo de  Orçamento do Estado para 2016, adiantando que, numa primeira análise, o seu teor corresponde ao acordado com a sua força política.

Esta posição foi transmitida pelo dirigente ecologista José Luís Ferreira em conferência de imprensa, na Assembleia da República, e a concretizar-se será a primeira vez que o PEV vota a favor de uma proposta de Orçamento do Estado.

Na sequência da apresentação do plano de Orçamento para o próximo ano pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, o dirigente do PEV considerou que o documento é caraterizado "pelo sentido de responsabilidade", por uma "preocupação com as pessoas", dando indicações "do fim da austeridade".

"Estamos perante um plano de Orçamento que procura dar resposta a alguns dos problemas considerados mais urgentes. Temos um Orçamento com sentido de responsabilidade, mas não ignora os problemas das pessoas, ao contrário dos orçamentos que marcaram o anterior executivo PSD/CDS-PP", declarou José Luís Ferreira.


O dirigente ecologista disse depois que o plano de Orçamento se "predispõe a pôr fim a um ciclo de degradação económica, social e ambiental".

"Nesse sentido, este Orçamento pode ser um instrumento importante para começar a pôr fim às políticas de austeridade e a esbater o empobrecimento do país", disse.


Questionado sobre se o sentido de voto de "os Verdes" ao Orçamento será favorável, José Luís Ferreira referiu que o documento "é complexo", razão pela qual "exige uma análise mais detalhada".

"A bitola do nosso sentido de voto será a correspondência com o acordo estabelecido com o PS e, daquilo que se conhece do Orçamento, parece-nos que está em sintonia com esse acordo. Daquilo que se conhece, parece-nos que este Orçamento encaixa perfeitamente no acordo estabelecido entre o PS e o PEV, mas ainda vamos analisar em detalhe o documento", acrescentou.