O Presidente de França, François Hollande, inicia em Portugal no dia 19 de julho uma viagem por vários países europeus, com o objetivo de “dar um novo impulso à Europa dos 27”, anunciou esta segunda-feira o Palácio do Eliseu.

De acordo com a nota divulgada esta segunda-feira, a viagem de Hollande, de 19 a 21 de julho, tem o objetivo de “continuar o trabalho, especialmente com a chanceler alemã e o presidente do conselho italiano, de modo a dar um novo impulso à Europa dos 27”.

Após a passagem por Portugal, no dia 19, o Presidente francês segue para a República Checa, Áustria e Eslováquia, no dia 20.

O pequeno périplo oficial termina no dia 21, na Irlanda.

A viagem surge depois do referendo de 23 de junho em que os britânicos escolheram sair da União Europeia (UE).

No dia 27 de junho, a chanceler alemã, o primeiro-ministro italiano e o Presidente francês reuniram-se e comprometeram-se a avançar com “medidas concretas” para resolver algumas das crises europeias como o terrorismo e a crise dos refugiados, e a promover o crescimento e o emprego.

Nesse encontro, Londres foi instada a invocar, com rapidez, o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que regula o processo de saída e que só pode ser ativado pelo país afetado.

A vinda de Hollande a Portugal já tinha sido anunciada, com o Presidente francês a dizer que Portugal é um “amigo” de França.

Questionado sobre esta afirmação no domingo, Marcelo Rebelo de Sousa concordou e disse que Portugal e França convergem "na visão sobre questões como a parte orçamental, como os refugiados, como as migrações".

Interrogado sobre se essa convergência inclui a questão das sanções da UE por défice excessivo, declarou: "Quando se fala da parte orçamental, naturalmente fala-se também nisso".