Durão Barroso vai receber uma pensão vitalícia de 132 mil euros por ano, o equivalente a 11 mil euros por mês, avança o «Daily Mail».

O dirigente português de 58 anos deixa, oficialmente, a presidência da Comissão Europeia este sábado, dia 1 de novembro.

A decisão já foi condenada pelos deputados conservadores britânicos por causa da «ganância e arrogância dos gatos gordos da UE», tendo pedido a David Cameron para os «colocar no seu lugar».

«Isto não me surpreende. Os britânicos estão cheios da arrogância e ganância dos gatos gordos não eleitos da União Europeia como o Barroso. Está na hora do Reino Unido mostrar os músculos e de David Cameron assumir a liderança e colocá-los no lugar», afirmou Stewart Jackson, um dos conservadores.

No regresso a Portugal, Durão Barroso vai receber ainda um subsídio de «transição» e de «reintegração» durante os próximos 3 anos, que pode chegar aos 200 mil euros, por cada ano.

Para além disso, o antigo primeiro-ministro vai ganhar também um salário extra de 25 mil euros, mais despesas de deslocação.