O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares declarou este domingo que o executivo socialista analisará "todas as propostas concretas", independentemente do partido de origem, e endereçou "felicidades" e "sucessos" à nova liderança do CDS-PP, no seu 26.º Congresso, em Gondomar.

Todas as propostas concretas que o CDS tem para apresentar - imagino que o serão no parlamento -, no momento certo, serão avaliadas com toda a abertura que caracteriza o Governo, sobre todas as matérias", disse Pedro Nuno Santos, após a entronização da primeira mulher presidente dos centristas, Assunção Cristas, sucessora de Paulo Portas.

A nova líder democrata-cristã desafiou o PS a uma reforma do sistema de pensões e à revisão da regulação e supervisão do setor financeiro, incluindo da designação do governador do Banco de Portugal, algo que implica a revisão da Constituição.

"Esperamos as melhores relações institucionais com o CDS e desejamos os melhores sucessos à nova liderança. Isso é bom para a democracia portuguesa. Temos de encarar com a maior normalidade a relação institucional entre o Governo e os diversos partidos, mesmo aqueles que não o apoiam", continuou o responsável governamental.

Pedro Nuno Santos reiterou que "o CDS é um partido importante” da democracia portuguesa, renovando o desejo de "felicidades à nova liderança" e, quando questionado sobre se era intenção do executivo socialista estar presente nos eventos de outras forças políticas não o negou.

Foi-me pedido para representar o Governo português e estou, com muito gosto, a representá-lo neste congresso".