do seu partido, referindo que estes celebram «compromissos com o cidadão e não com o partido».

«Antes das eleições, os deputados passeiam-se pelo país a prometer tudo aos eleitores. Mas uma vez eleitos esquecem-se dos compromissos que celebraram com quem os elegeu», disse, criticando também os partidos que «se isentam a si próprios de impostos mas que impõem impostos que esmagam cidadãos e empresas».

Sobre o sistema político, o fundador do PDR criticou ainda os valores das subvenções que os partidos recebem por voto, por considerar que «não é o Estado que tem de garantir a sobrevivência dos partidos, para que não se tornem parasitas do Estado».