O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou este domingo, no Peso da Régua, o Governo de esconder quais são as 311 escolas a encerrar no país para «apanhar os pais e professores distraídos».

O Ministério da Educação e Ciência anunciou no sábado que vai fechar 311 escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico e integrá-las em centros escolares ou outros estabelecimentos de ensino, no âmbito do processo de reorganização da rede escolar.

Jerónimo de Sousa, que discursava no decorrer de uma sessão pública que juntou dezenas de viticultores, militantes e simpatizantes do PCP em defesa do Douro e da Casa do Douro, aproveitou para falar sobre o encerramento de escolas que vai ocorrer por todo o país.

«Ainda ontem [sábado] soubemos que [o executivo] quer fechar mais de 300 escolas do Ensino Básico. Já definiu o número mas escondeu quais são as escolas que quer fechar para apanhar os pais e os professores distraídos», afirmou o líder comunista.

Com esta política do executivo de Pedro Passos Coelho, que leva ao «fecho de escolas, de serviços de saúde ou tribunais», Jerónimo de Sousa salientou que o Governo está a conduzir «à desertificação e ao despovoamento do interior».

O secretário-geral do PCP afirmou, no entanto, que há «uma alternativa» para o país, com uma «política patriótica e de esquerda».

«É pela luta que defendemos o que construímos», sublinhou.