esconder dos portugueses

"Com toda a franqueza em nenhuma das reuniões questão foi levantada. Vou ser severo porque acho que devo ser, não há o direito de lesar a credibilidade externa de Portugal. Iremos ficar com um défice abaixo de 3%. Não creio que haja alguma surpresa financeira. Não há o direito de lesar a credibilidade de Portugal. Haja sentido de Estado. O que o líder partidário diz, não fica cá, vai para fora. Não se faz isso, as pessoas não merecem isso"








"A educação para adultos é obstáculo e NATO e euro já não é obstáculo? Foi uma matérias enunciadas pelo dr António Costa. As pessoas têm um limite de paciência para a teatralidade da política"

deixar de ser o número dois

"No chamado documento facilitador, procurámos fazer uma aproximação e não foram matérias irrelevantes: não acho irrelevante acordo para devolução da sobretaxa ser mais célere, não acho indiferente a condição de recurso no complemento solidário idosos e para usaar uma expressão que se tem dito, retirar os muros que existem para se fazer uma reforma da segurança social"






à missiva que Pedro Passos Coelho enviouresposta

TVIvai indigitar Passos Coelhoaudiências com os partidos