O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse esta quarta-feira que o «ambiente de segurança» vivido em Portugal se deve à forma como as forças de segurança atuam, destacando o trabalho desempenhado pela PSP.

«Se temos hoje um ambiente de segurança, como aquele que se sente e que nos distingue dos outros países isso deve-se também à forma como os profissionais de segurança atuam¿, disse aos jornalistas o primeiro-ministro, que hoje participou na cerimónia que assinalou os 147 anos da PSP.

Passos Coelho adiantou que «Portugal é seguramente o país com melhores indicadores de segurança ao nível europeu e no mundo», devendo-se à cultura portuguesa e à forma como a sociedade se organiza, mas também ao «grande profissionalismo que esta força de segurança vem exibindo».

Destacando «os serviços relevantes» prestados pela Polícia de Segurança Pública, Passos Coelho prestou «o enorme reconhecimento pelo trabalho que desempenham» os elementos da PSP.

Destacando «os serviços relevantes» prestados pela Polícia de Segurança Pública, Passos Coelho prestou «o enorme reconhecimento pelo trabalho que desempenham» os elementos da PSP.

Também presente na cerimónia, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, destacou o «trabalho, empenho, competência e eficácia» da PSP, apesar dos constrangimentos.

No discurso, Miguel Macedo enviou «uma palavra de motivação a todos os que prestam serviço na Polícia de Segurança Pública», sublinhando que «garantir o prestígio da Polícia é uma exigência diária que compete a todos aqueles que servem na PSP».

«A maturidade democrática do país e a crescente exigência dos cidadãos intensificou o escrutínio da atividade policial pelo que a conduta dos homens e mulheres que prestam serviço na PSP é determinante para a boa imagem da instituição», disse, acrescentando que uma polícia «prestigiada, disciplinada, comprometida com a sua missão e respeitada pelos cidadãos é merecedora do mais elevado apreço, reconhecimento e gratidão».

O ministro manifestou ter consciência das «dificuldades, e até incompreensões», com que são confrontados diariamente os profissionais da PSP no exercício da sua missão.

«Mas sabemos igualmente que as competências adquiridas permitem que o vosso desempenho seja pautado pela isenção, proporcionalidade, ponderação, firmeza e respeito pela legalidade», disse ainda.

Durante a cerimónia de aniversário da PSP, que decorreu nas instalações da direção nacional da Polícia, em Lisboa, foram ainda condecorados 12 polícias com o prémio de segurança pública, distinção que reconhece o trabalho desenvolvido no decorrer da sua missão.