A lista de Pedro Passos Coelho ao Conselho Nacional do PSD, encabeçada por Miguel Relvas, conseguiu 18 dos 70 lugares deste órgão, o pior resultado da sua liderança, numa eleição à qual concorreram nove listas.

Em 2012, concorreram dez listas ao Conselho Nacional, cuja composição passou de 55 para 70 membros efetivos e a lista de Pedro Passos Coelho, encabeçada por Paulo Rangel, elegeu 25 membros, perdendo a maioria absoluta de que dispunha até então.

Em 2010, a «lista de unidade» que acordou com o seu ex-adversário interno Paulo Rangel, liderada pelo eurodeputado, tinha conseguido 29 dos 55 lugares deste órgão máximo entre congressos, numa eleição à qual concorreram 13 listas.

Fernando Ruas reeleito presidente da Mesa do Congresso

Fernado Ruas, ex-presidente da Câmara Municipal de Viseu, foi reeleito presidente da Mesa do Congresso do PSD, numa lista que obteve 684 votos a favor.

Participaram na votação 773 congressistas, o que dá uma votação favorável à Mesa do Congresso de 88,5% dos votos, uma percentagem semelhante à do congresso de há dois anos, quando conseguiu 89%.

O resultado desta eleição foi anunciado pelo presidente do Conselho de Jurisdição, Calvão da Silva, no XXXV Congresso do partido, que termina hoje, em Lisboa.

Incluem ainda a Mesa do Congresso Hermínio Loureiro e Fernando Costa, como vice-presidentes, e Duarte Pacheco, Isaura Morais, Domingos Dias e Anabela Anjos, como secretários.

Comissão Política eleita com 85% dos votos

A equipa proposta pelo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, para a Comissão Política do partido foi eleita este domingo pelo XXXV Congresso social-democrata com 660 votos favoráveis, correspondentes a 85% dos votos.

Estes resultados foram anunciados pelo presidente do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, João Calvão da Silva, que referiu terem participado nesta votação 773 delegados, dos quais 74 votaram em branco e 39 nulo.

No anterior Congresso do PSD, em 2012, a lista proposta por Pedro Passos Coelho para a Comissão Política Nacional do partido foi eleita 657 com votos favoráveis, correspondentes a 88% do total, numa eleição em que participaram 745 congressistas.

Em 2010, a lista para a Comissão Política Nacional proposta por Pedro Passos Coelho foi eleita pelo Congresso do PSD com 87,2% de votos favoráveis, 677 num total de 774 votantes.

Compõem a Comissão Política Nacional hoje eleita Jorge Moreira da Silva, como primeiro vice-presidente, seguindo-se os vice-presidentes Marco António Costa, Teresa Leal Coelho, Pedro Pinto, José Matos Correia e Carlos Carreiras, sendo estes dois últimos as novidades da equipa de Pedro Passos Coelho.

Manuel Rodrigues, que entretanto assumiu funções governativas, e Nilza Sena, eleitos vice-presidente do partido há dois anos, saem da direção nacional do PSD.

José Matos Rosa mantém-se no cargo de secretário-geral do PSD e a lista de vogais da Comissão Política Nacional é a seguinte: Aires Pereira, António Topa, Elsa Cordeiro, Fernando Jorge, Fernando Armindo da Costa, José António Jesus, Luís Ramos, Maria da Conceição Pereira, Paulo Jorge Simões Júlio e Pedro do Ó Ramos.

Destes dez nomes, metade são novos face à anterior direção: Aires Pereira, António Topa, Elsa Cordeiro, Luís Ramos e Pedro do Ó Ramos. Deixam a Comissão Política Nacional os até agora vogais Desidério Silva, Hermínio Loureiro, Maria Trindade Vale, Rodrigo Moita de Deus e Rogério Gomes.

Lista da direção com quatro lugares em nove no Conselho de Jurisdição

A lista da direção de Passos Coelho ao Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, novamente encabeçada por Calvão da Silva, elegeu quatro lugares num total de nove, menos um do que no anterior Congresso.

A lista encabeçada por Miguel Bettencourt e a lista encabeçada por Paulo Colaço conseguiram, cada uma, dois mandatos, enquanto a lista encabeçada por Ricardo Bastos Sousa elegeu um elemento.