Passos Coelho afirmou, esta segunda-feira, que a ideia de que incentivou os jovens a emigrar é um “mito urbano”, sublinhando que apenas disse que não se podia estigmatizar os que procuram novas economias.

“Há uns quantos mitos urbanos: um deles é o de que incentivei os jovens a emigrar. Eu desafio qualquer um a recordar por escrito qualquer intervenção que tenha tido nesse sentido. O que disse na altura foi que não podemos estigmatizar os que procuraram novas economias.”


Recorde-se que as palavras que geraram polémica e muitas críticas da oposição em 2011 remontam a uma entrevista ao "Correio da Manhã", onde Passos aconselhava os professores que não conseguiam colocação a olhar para o mercado da língua portuguesa como uma alternativa ao desemprego.

O primeiro-ministro falou, esta segunda-feira, à margem de uma cerimónia que assinou os 75 anos do Portugal dos Pequenitos, em Coimbra, sobre a questão da emigração, considerando que Portugal é “quase desde sempre” um país marcado por este fenómeno. O chefe do Governo admitiu, no entanto, que o mesmo se intensificou nos últimos anos, tal como aconteceu noutros países da Europa.

“Apesar de Portugal ter sido quase desde sempre um país de emigração, ela intensificou-se nos últimos anos tal como aconteceu em Espanha ou na Irlanda.”


Por isso, Passos destacou a importância de haver espaço para o regresso dos emigrantes, sublinhando, nesse sentido, que a economia dá bons sinais para que isso aconteça.

“Temos de ter cá espaço para que possam regressar e evitar que outros que não queiram sair sejam forçados a fazê-lo.”


Na cerimónia que comemorou os 75 anos do Portugal dos Pequenitos, Passos garantiu que o Metro do Mondego não foi esquecido e está a ser analisado com a Comissão Europeia. Aos jornalistas, o primeiro-ministro admitiu que há outras "prioridades", mas acredita que uma resposta de Bruxelas será apresentada "em breve".

"Espero que seja em breve, este tipo  de projetos de maior dimensão não pode ser decidido à escala nacional sem autorização de Bruxelas. Mas não é uma questão que estou a apressar para decidir para as eleições. O mapeamento essencial ficará decidido nestes meses e espero que tão cedo quanto possível haja uma resposta." 


Passos falou ainda sobre o processo de privatização da TAP, admitindo que o novo dono da companhia aérea pode ser escolhido e anunciado já esta semana.

“Seja esta semana ou na semana que vem, estaremos muito próximos de uma solução para a privatização da TAP.”